Artigo/Notícia

Pastoral Indígena e Indigenista do Paraná foca atenção na Diocese de Toledo

Talvez poucos dos nossos leitores saibam, mas no território da nossa Diocese de Toledo temos mais de 3 mil índios residentes em pelo menos 15 aldeias. Pois bem. Essa é uma realidade que muito nos interessa no contexto religioso e começa a ser levantada com mais força agora a partir de um levantamento recente realizado no Estado do Paraná e que mostra a fragilidade da presença da Igreja Católica nesses ambientes.

Segundo levantamento feito pela Pastoral Indígena e Indigenista, o Paraná possui um total de 89 aldeias. Para atender e/ou dar um pouco de assistência a esses povos a CNBB Paraná conta com apenas um funcionário e dois veículos colocados à disposição para os atendimentos. O escritório para o funcionamento dessa Pastoral se localiza na Diocese de Guarapuava.

Outro dado levantado na pesquisa aponta que no Estado do Paraná temos 33 paróquias com aldeias indígenas descendentes dos povos Kaygangues, Guarani e Xetá. Apenas três Dioceses não têm aldeamento indígena.

Na Diocese de Toledo as aldeias se localizam nos Municípios de Guaíra e Terra Roxa com descendência dos índios Guaranis. São 15 aldeias, equivalente a cerca de 3,2 mil indígenas.

Com esses dados apresentados, e a pedido do Regional Sul II da CNBB, a Diocese de Toledo, através do seu bispo diocesano, D. João Carlos Seneme, organiza um trabalho de atenção a esses povos tradicionais tão envolvidos em conflitos especialmente relacionados à terra. Estão sendo convidadas lideranças que possam ajudar neste delicado e necessário trabalho. Uma das maiores preocupações é a barreira linguística, daí a necessidade de se encontrar as pessoas certas para este trabalho pastoral.